Fecomercio-PE

Fecomércio-PE

Parceria entre Instituto Fecomércio-PE, Ceape e Rotary oferece crédito para empreendedores

rotaryrotary5

 

Em tempos de crise econômica e a um aumento significativo do desemprego, é crescente a tendência por boa parte dos brasileiros que perderam sua ocupação em 2015 montar um pequeno negócio. No entanto, é preciso planejamento e crédito especialmente para o empreendedor que atua nas comunidades. Com base nessa perspectiva, o Centro de Apoio aos Pequenos Empreendimentos do Estado de Pernambuco (Ceape), o Instituto Fecomércio-PE e o Rotary e-club do distrito 4500, assinaram o convênio para a execução do Projeto de Microcrédito, que tem o objetivo de oferecer a 200 microempreendedores da comunidade do Chié, em Campo Grande, Zona Norte do Recife, a capacitação para gestão e finanças além crédito para financiar seus negócios.

 

A parceria surgiu através de um projeto do Rotary e-club distrito 4500, que possibilitará a concessão de crédito de mais de R$ 360 mil, destinados para pequenos empreendedores de baixa renda que atuam em comunidades, com a intenção de fomentar os negócios locais e investir no social, para alavancar a geração de renda e de empregos.  O Projeto de Microcrédito é financiado pela Fundação Rotária e mais 19 Rotary Clubs.


O crédito, que será gerido pelo Ceape, com mais de 23 anos de experiência na concessão de empréstimos para microempreendedores, é fruto final de uma pesquisa realizada pelo intercambista do Rotary Gabriel Gardiner. O mestrando em economia da UFPE apresentou como estudo ao Rotary a necessidade de fomentar investimentos para os microempreendedores de comunidades. “O embrião desta ação que hoje firmamos está nos estudos do Gabriel. Abraçamos a ideia e fomos em busca de parceiros. Depois de muitas reuniões com o  Ceape e o Instituto Fecomércio-PE daremos início, em breve, as capacitações para os pequenos empresários do Chié’, disse  a presidente do Rotary e-club 4500, Albertina Farias.

 

A primeira etapa da ação consiste na capacitação dos empreendedores locais, que serão incentivados a se formalizarem como Microempreendedores Individuais (MEI) e participarão de treinamentos realizados pelo Instituto Fecomércio-PE para desenvolver competências gerenciais, que vão  desde a administração do negócio, passando pela gestão do marketing até a financeira, além da capacitação técnica. Os treinamentos terão início em um mês. “O crédito é importante para o microempreendedor, mas ele precisa vir aliado à gestão. O empreendedor necessita conhecer seus produtos, suas potencialidades, as maneiras de formar preços, entre outros aspectos que auxiliam a gestão do negócio. E é isso que o Instituto Fecomércio-PE vai proporcionar a essas pessoas”, esclareceu a diretora do Instituto Fecomércio-PE, Brena Castelo Branco.

 

Após a capacitação, os empreendedores poderão solicitar junto ao Ceape o crédito e serão acompanhados por consultores da própria entidade, que avaliam junto com os empresários as necessidades do negócio, o aporte necessário para o investimento e como ele será aplicado. “O grande diferencial do Ceape está na orientação que o microempresário recebe. Aqui ele é orientado como melhor usar esse crédito para ter um retorno real para os negócios e crescer”, destacou o presidente do Ceape, Bernardo Peixoto.

 

Para o governador do Rotary e-club do distrito 4500, Jadir Farias, essa é uma das mais importantes iniciativas do Rotary na região. O distrito 4500 do Rotary compreende os Estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte e Paraíba. “O Sistema Fecomércio-PE, através do Instituto Fecomércio-PE, e o Ceape são instituições sérias e competentes para desenvolver esse projeto. E é com grande felicidade que hoje estamos firmando essa parceria, que acredito que será a primeira de muitas. Essa ação levará a esses empreendedores e a toda a comunidade do Chié a oportunidade de desenvolver sua economia. O que fazemos hoje é um investimento social e o retorno veremos na qualidade de vida dessas pessoas”, enfatizou.

Produtos ilegais entre as preferências dos consumidores

Instituto Fecomércio-PE realiza sondagem de opinião sobre o consumo dessas mercadorias no Recife

 

Pagar menos. Essa é a resposta que 91% dos recifenses utilizam para justificar o hábito de comprar produtos ilegais. A conclusão é da sondagem de opinião realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Pernambuco (Fecomércio-PE), através do Instituto Fecomércio-PE, em convênio firmado com o Sebrae-PE. Os produtos ilegítimos são aqueles comercializados com várias irregularidades, como a falsificação, o contrabando, o descaminho, a fabricação inadequada e, ainda, a não preservação dos direitos autorais de artistas e produtores culturais. Além desses fatores, essas operações geram concorrência desleal contra os setores organizados da economia.

 

Apesar de não serem os produtos originais, esses consumidores entrevistados do Recife destacam a necessidade de obter a mercadoria independente da origem (31,3%) como um dos motivos dessas escolhas. Dentre os ouvidos, 67,3% entendem que esse mercado aumenta as possibilidades de consumo e 40,3% acreditam que essa comercialização contribui para um equilíbrio de preços mais acessíveis no comércio formal.

 

Dentre os tipos de produtos comercializados ilicitamente, os que mais têm destaque são: as mídias gravadas (CDs, DVDs ou Blu-ray), com 75% das indicações, os relógios (40,5%), roupas e acessórios (39,3%) e os calçados e bolsas (34,5%).

 

Brasil – Em uma sociedade que estimula o consumo e que os gastos das famílias com bens e serviços finais respondem por quase 70% do PIB, o comércio ilícito e ilegal ocupa um grande espaço no mercado. No país, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (IBRE/FGV) e Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO), foi registrado um total de cerca de R$ 932 bilhões em 2015 com o comércio informal, equivalendo a 16,1% do PIB.

 

 

 

 

 

Senado aprova permissão para microempreendedor exercer atividade em casa

O microempreendedor individual poderá utilizar a sua residência como sede de seu estabelecimento comercial, quando a atividade não exigir local específico para funcionamento. É o que está previsto no Projeto de Lei da Câmara (PLC) 167/2015 Complementar, aprovado nesta terça-feira (29), por unanimidade, no Plenário do Senado. A matéria segue agora para sanção presidencial.

De autoria do deputado Mauro Mariani (PMDB-SC), a proposta altera o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte (Lei Complementar 123/2006). A justificativa é de que alguns empreendedores individuais que poderiam exercer a atividade em sua própria residência, sem a necessidade de dispor de estabelecimento para essa finalidade, estão impedidos de fazê-lo pela legislação de vários estados, que proíbem a coincidência entre o endereço do empreendimento e o endereço residencial.

Na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), a matéria teve parecer favorável do relator Blairo Maggi (PR-MT), que observou ser racional e economicamente viável que o empreendedor utilize a própria residência para o exercício de sua atividade empresarial, com substancial economia de recursos. Além disso, com internet e redes sociais, fica mais fácil a adoção do trabalho em casa.

Os senadores presentes na sessão elogiaram a proposta que, segundo eles, é importante principalmente no momento de crise econômica que o país está vivendo. De acordo com os parlamentares, mesmo sendo simples, o projeto tem impacto social muito grande, já que desburocratiza e facilita a vida das microempresas sem gerar custos para o governo.

"Um dos grandes desafios nacionais é a modernização da nossa economia. Tornar o Brasil um país mais produtivo e competitivo é o desafio que o futuro nos reserva", destacou o líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima.

Fonte: Agência Senado

 

Crescem compras via dispositivos móveis

Fonte: Shutter Stock

Metade dos brasileiros fecha compra ao consultar preço, mostra pesquisa da Zoom

 

Pesquisar preços e fazer compras por meio de dispositivos móveis já é realidade para 76% dos brasileiros, revela levantamento feito pelo Zoom, site comparador de preços e produtos, em parceria com a Consumoteca, com cerca de 30 mil pessoas. Quanto ao comportamento mobile, o estudo mostra que apenas 24% destes consumidores nunca compraram ou pesquisaram preços utilizando um destes aparelhos.

 

 

Em 2014, essa porcentagem era de quase 40%. O estudo revela ainda que o número de pessoas que possuem aplicativos de comparadores de preço em seus smartphones também cresceu (de 28% em 2014 para 35% dos entrevistados em 2016). Entre os respondentes que possuem aplicativo, o uso deste na loja física para comparação de preços continua tendo um papel muito relevante, já que 65% afirmam ter esse comportamento, tal como em 2014. Além disso, 86% consideram que o smartphone está sempre mais próximo do que o computador, reforçando a necessidade da incorporação de uma experiência mobile completa.

 

Em termos de fechamento da compra, 50% destes respondentes afirmaram que efetivam a compra no momento da pesquisa de preço, independentemente do dispositivo que estejam usando – número 61% superior ao aferido em 2014. Enquanto a efetivação da compra por meio dos devices cresceu, o comportamento de pesquisar primeiramente no smartphone e depois fechar a compra no computador está em queda, diminuindo de 45% em 2014 para 36% dos entrevistados neste ano.

 

“A mobilidade deixou de ser o ponto mais forte do smartphone ou tablet, pois esses aparelhos estão sempre mais próximos do consumidor. Por esse motivo, o aplicativo não tem que estar pautado apenas pela localização ou por outros atributos ligados fortemente à mobilidade. O que o usuário quer é ter a mesma experiência que o site oferece”, avaliou em nota Thiago Flores, diretor executivo do Zoom.

 

 Fonte: Portal No Varejo

 

Vendas em supermercados caem 1,61% de janeiro para fevereiro

As vendas do setor supermercadista tiveram queda de 1,61% em fevereiro na comparação com janeiro deste ano e alta de 2,92% em relação a fevereiro de 2015, de acordo com o Índice Nacional de Vendas da Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

 

No acumulado dos dois primeiros meses deste ano, as vendas caíram 0,36%, na comparação com o mesmo período do ano passado.

 

Em valores nominais, as vendas tiveram queda de 0,73% em fevereiro, comparadas às de janeiro, e alta de 13,64% com relação a fevereiro de 2015. No acumulado do ano, houve crescimento de 10,22%.

 

“Janeiro veio com um número negativo forte, mas fevereiro já apresenta um número melhor com relação ao ano passado. Mostra certa recuperação porque, apesar de muitos indicadores ruins, nosso varejo tem apresentado um número melhor do que vinha tendo. Sempre levando em consideração que em fevereiro tivemos carnaval e o ano bissexto, com um dia a mais no mês”, disse o presidente do Conselho Consultivo da Abras, Sussumu Honda.

 

A cesta de produtos Abrasmercado – que analisa 35 produtos de largo consumo – teve alta de 0,88%, passando de R$ 452,22 em janeiro para R$ 456,22 em fevereiro. Entre os produtos com as maiores altas estão: ovo (9,46%), a farinha de mandioca (7,31%), arroz (6,69%) e feijão (4,87%). As maiores quedas ficaram com tomate (-14,39%) e pernil (-4,73%).

 

“Houve influências pontuais em alguns produtos. Em janeiro e fevereiro, choveu muito em algumas regiões. O preço do arroz aumentou porque choveu no Rio Grande do Sul no momento da colheita e isso diminuiu a oferta”, disse o diretor de Relacionamento da GK, empresa que faz a pesquisa, Marco Aurélio.

 

A maior alta de preços foi registrada na Região Norte (4,18%). No Sul,  o aumento foi de 0,39%, seguido do Nordeste, com 0,28%, e do Sudeste, com 0,11%. No Centro-Oeste, houve queda de 0,93%.

 

Fonte: Agência Brasil

Índice do aluguel tem alta de 11,56% em 12 meses

Em todo o país, o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), que reajusta os aluguéis, fechou em 0,51% em março, o que representa queda em relação a fevereiro, quando atingiu 1,29%. Em março de 2015, a variação foi de 0,98%. Considerando o acumulado de 12 meses, o índice apresentou alta de 11,56%. A taxa acumulada em 2016 até março é de 2,97%. Os números foram divulgados hoje (30) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

 

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) foi de 0,44% contra 1,45% de fevereiro. O índice relativo aos bens finais foi de 1,52% em março. Em fevereiro, este grupo de produtos teve variação de 1,43%.

 

O índice referente ao grupo bens intermediários foi de -0,93%. Em fevereiro, a taxa fechou em 1,16%. O principal responsável por este movimento foi o subgrupo materiais e componentes para a manufatura, que passou de 1,96% para -1,4%.

 

Números

 

Segundo a FGV, o grupo matérias-primas brutas variou 0,82% em março. Em fevereiro, registrou variação de 1,83%. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) apresentou taxa de 0,58% em março, ante 1,19% em fevereiro. A principal contribuição para o decréscimo partiu do grupo habitação (0,83% para -0,06%). Nesta classe de despesa, o item tarifa de eletricidade residencial passou de -0,58% para -3,18%.

 

Também apresentaram decréscimo os grupos: transportes (1,73% para 0,54%), educação, leitura e recreação (2,06% para -0,01%) e alimentação (1,42% para 1,12%). Registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: comunicação (0,71% para 1,13%), despesas diversas (1,32% para 1,9%), vestuário (0,22% para 0,33%) e saúde e cuidados pessoais (0,69% para 0,73%).

 

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) foi de 0,79%, acima do resultado de fevereiro: 0,52%. O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços acusou variação de 0,38%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,53%. O índice que representa o custo da mão de obra registrou taxa de 1,16%. No mês anterior, variou 0,51%.

 

Fonte: Agência Brasil

Fecomércio-PE promove fórum de debates em Serra Talhada

O encontro acontece no próximo dia 07 e vai discutir  ações para obter sucesso nos negócios

 

A maior dificuldade dos empresários na hora de buscar o sucesso perdido na mesmice dos negócios ainda é arriscar na novidade. Pensando nisso,  o Instituto Fecomércio-PE, em parceria com o Sebrae, irá realizar dia 07 de abril, a partir 18h, na Escola Normal Imaculada Conceição, em Serra Talhada, o fórum de debates “Movimentação: Como afastar a mesmice e melhorar os resultados”.

 

O presidente da Fecomércio-PE, Josias Albuquerque, ao lado do presidente do Sindicom, Francisco Mourato, fará a abertura do evento, sendo seguidos pela palestra  “Movimentação: Como afastar a mesmice e melhorar os resultados”, ministrada pelo consultor  Fred Alecrim.

 

Além da discussão, serão apresentadas duas experiências bem-sucedidas, conduzida pelo diretor executivo do Instituto Florescimento Humano, Leonardo Oliveira, acompanhado de uma empresa local, que irá conversar com os participantes sobre o sucesso na gestão criativa. Para finalizar, será aberto tempo para debates.

 

O investimento é de R$20,00 e as inscrições devem ser realizadas através do e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. e presencialmente no Sindocon/Serra Talhada e CDL/Serra Talhada

 

Fórum de Debates: Movimentação: Como afastar a mesmice e melhorar os resultados 

Local: Escola Normal Imaculada Conceição – Rua Cmte. Superior, 841 – Serra Talhada-PE

Data: 07.04.2016

Horário: 18h às 21h30

Valor do evento: R$20,00

Informações e inscrições : (81) 3231-6635

Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Sindicon e CDL: (87)3831-2367 – Rua Cirilo Xavier, 503 – Nossa Senhora da Penha  

 

 

 

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

 

18h ás 19h – Credenciamento

19h às 19h30 – Abertura

Presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac-PE Josias Albuquerque

Presidente do Sindicom Francisco Mourato

19h30 às 20h30 – Palestra: Movimentação: Como afastar a mesmice e melhorar os resultados”

Fred Alecrim 

20h30 às 21h – Experiências de sucesso

Leonardo Oliveira - Diretor executivo do Instituto Florescimento Humano

Sucesso na gestão criativa – Empresa local

 

21h às 21h30 – Debate

 

21h30 - ENCERRAMENTO

 

Fecomércio-PE promove fórum de debates em Ipojuca

O encontro acontece no próximo dia 06, na Faculdade de Ipojuca, e vai debater sobre as ações para obter sucesso nos negócios

 

A maior dificuldade dos empresários na hora de buscar o sucesso perdido na mesmice dos negócios ainda é arriscar na novidade. Pensando nisso, o Instituto Fecomércio-PE, em parceria com o Sebrae, irá realizar, no próximo dia 06, a partir 18h, na Faculdade de Ipojuca, o fórum de debates “Movimentação: Como afastar a mesmice e melhorar os resultados”.

 

O presidente da Fecomércio-PE, Josias Albuquerque, ao lado do Secretário Especial de Juventude e Esportes, Miquéias Silva, fará a abertura do evento, sendo seguidos pela palestra “Movimentação: Como afastar a mesmice e melhorar os resultados”, ministrada pelo consultor, Fred Alecrim.

 

Além da discussão, serão apresentadas duas experiências bem-sucedidas, conduzida pelo diretor executivo do Instituto Florescimento Humano, Leonardo Oliveira, acompanhado de uma empresa local, que irá conversar com os participantes sobre o sucesso na gestão criativa. Para finalizar, será aberto tempo para debates.

 

O evento é gratuito e as inscrições devem ser realizadas através do e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .

 

Fórum de Debates: Movimentação: Como afastar a mesmice e melhorar os resultados 

Local: Faculdade de Ipojuca (Fajolca) – Av. Francisco Alves de Souza, 500, Centro – Ipojuca-PE

Data: 06.04.2016

Horário: 18h às 21h30

Informações e inscrições : (81) 3231-6635

Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

 

 PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

 

18h ás 19h – Credenciamento

19h às 19h30 – Abertura

Presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac-PE Josias Albuquerque

Secretário Especial de Juventude e Esportes Miquéias Silva

19h30 às 20h30 – Palestra: Movimentação: Como afastar a mesmice e melhorar os resultados”

Fred Alecrim 

20h30 às 21h – Experiências de sucesso

Leonardo Oliveira - Diretor executivo do Instituto Florescimento Humano

Sucesso na gestão criativa – Empresa local

 

21h às 21h30 – Debate

 

21h30 - ENCERRAMENTO

 

 

Fecomércio-PE promove o IV ciclo empresarial em Virória de Santo Antão

Os encontros acontecem entre os dias 05 e 07, no Vitória Park Shopping, e vão debater as melhorias para avançar nos negócios

 

A maior dificuldade dos empresários na hora de buscar o sucesso perdido na mesmice dos negócios ainda é arriscar na novidade. Pensando nisso, o Instituto Fecomércio-PE, em parceria com o Sebrae, irá realizar entre  dias 05 e 07 de abril, no Vitória Park Shopping, uma série de encontros com o tema “Movimentação: Como afastar a mesmice e melhorar os resultados”.

 

No primeiro dia de encontro haverá palestra sobre o tema, ministrada pelo consultor Fred Alecrim. Após a discussão, serão apresentadas duas experiências bem-sucedidas, conduzidas pelo diretor executivo do Instituto Florescimento Humano, Leonardo Oliveira, acompanhado do gestor Gilberto Santos, da empresa local Império das Tortas, que irão conversar com os participantes sobre o sucesso na gestão criativa. Para finalizar, será aberto tempo para debates.

 

No segundo momento, na quarta-feira (06), haverá palestra com o consultor, Glenn Gomes, com tema “A loja que vende”. Também conduzido por ele, no último dia de encontro, haverá o workshop “Laboratório de Varejo em Vendas”, que vai abordar como conhecer, interagir e realizar a venda do produto para o novo perfil de consumo dos clientes.

 

O investimento para o evento pode ser feito em combo, com os três dias do ciclo empresarial, por R$40,00, ou unitário, sendo R$20,00 cada dia de atividade. Os interessados devem ir ao Senac Vitória de Santo Antão e realizar a inscrição presencialmente.

 

IV Ciclo Empresarial: Movimentação: Como afastar a mesmice e melhorar os resultados 

Local: Vitória Park Shopping – Av. Henrique de Holanda, 3000, Redenção

Data: 05/04 a 07/04

Horário: 18h às 21h30 (05/04)

19h às 21h30 (06 e 07/04)

Inscrições: Senac Vitória de Santo Antão – Rua Áurea Pimentel, 210, Cuscuz

Investimento: R$40,00 combo dos três dias

R$20,00 por cada dia

Informações: 3523-1428 (Senac)

 

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

 

Dia 1 - 05/04

 

18h às 19h – Credenciamento

19h às 19h30 – Abertura

19h30 às 20h30 – Palestra: Movimentação: Como afastar a mesmice e melhorar os resultados”

Fred Alecrim 

20h30 às 21h – Experiências de sucesso

Leonardo Oliveira - Diretor executivo do Instituto Florescimento Humano

Sucesso na gestão criativa – Empresa local

 

21h às 21h30 – Debate

 

21h30 - ENCERRAMENTO

 

 

Dia 2 - 06/04

 

19h ás 21h – Palestra: A loja que vende

Glenn Gomes 

 

Dia 2 - 07/04

 

19h ás 21h – Workshop: Laboratório de Varejo em Vendas 

Glenn Gomes 

Índice de Confiança do Comércio recua para 67,1 pontos

O Índice de Confiança do Comércio (Icom), medido pela Fundação Getulio Vargas, caiu 1,7 ponto em março deste ano. O indicador recuou de 68,8 pontos em fevereiro para 67,1 pontos (em uma escala de zero a 200). A queda foi provocada principalmente pela piora da avaliação dos empresários do comércio em relação ao futuro, já que o Índice de Expectativas caiu 2 pontos.

 

O principal responsável pela queda de 2 pontos do Índice de Expectativas foi o componente que capta o grau de otimismo em relação às vendas nos três meses seguintes e que diminuiu 2,5 pontos em relação a fevereiro.

 

Já o Índice da Situação Atual, que mede a confiança do empresário em relação ao momento atual, teve queda de 1,2 ponto e chegou a 62,3 pontos. O recuo foi puxado principalmente pelo componente que mede o grau de satisfação com o volume da demanda atual e que caiu 6,5 pontos.

 

Fonte: Agência Brasil